Lixo invisível de João Ninguém 2011

O Lixo Invisível de João Ninguém O Lixo Invisível João Ninguém coabita neste espaço de memória acadêmica, consolidando ideias, promovendo conflitos e recompondo a arte dos incondicionais transeuntes das ruas soteropolitanas. Ato de coragem, desafio e convivência de um João catador de almas que vaga no lixo claro das ruas de todos os santos. Vivência, performance, vida em jogo, fazer artístico pleno de um pesquisador sensível, político e comprometido, um artista do mundo do cotidiano ordinário. O Lixo Invisível de João Ninguém revela-se para subverter a ordem e provocar variações imprescindíveis ao bem comum. A arte de João Aires importuna os sentidos para além do paladar estético. Suas intervenções no seio dos dejetos da cidade, da fome, da droga e da miséria que nos cerca e nos envolve comove, faz rir e chorar ao mesmo tempo. Aqui está a obra agora, revista, in-lógica, asséptica e pro-ética. Por isso mesmo reveladora do seu espírito humanista. Uma maneira de despir a realidade.
Ricardo Barreto Biriba, Curador

The Invisible Trash Trash Hidden John Doe John Doe cohabits this memory space academic, consolidating ideas, conflicts and promoting the art of recomposing unconditional passers streets soteropolitanas. Act of courage, defiance and living a John groomer souls wandering in the trash clear the streets of all the saints. Experience, performance, life at stake, making art full of a sensitive researcher, politician and committed, an artist from the ordinary everyday world. Trash The Invisible John Doe reveals to subvert order and cause variations essential to the common good. The Art of John Aires tease the senses beyond the aesthetic taste. Its interventions within the city waste, hunger, drugs and misery around us and involves us moves, makes you laugh and cry at the same time. Here the work is now revised, in-logic, aseptic and pro-ethics. So even revealing its humanist. One way to undress reality.
Ricardo Barreto Biriba, Curator